VARIEDADE
'A Pedra Escura', premiada peça espanhola, ganha montagem inédita no Brasil
publicado em: 30/10/2023
'A Pedra Escura', premiada peça espanhola, ganha montagem inédita no Brasil

Por: KETRYN CARVALHO para o observatoriog



A força do diálogo, da compreensão e do amor em meio aos horrores da guerra. Esse é o ponto de partida de “A Pedra Escura”, um dos mais premiados e importantes textos do teatro espanhol moderno, escrito por Alberto Conejero, que ganha montagem inédita no Brasil em temporada no Teatro Poeirinha, em Botafogo, de 2 de novembro a 17 de dezembro, de quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h.



Com direção de João Fonseca, a peça se passa no quarto de um hospital militar, durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939), dividido entre o prisioneiro Rapún (Vino Fragoso) e o guarda Sebastian (Lucas Popeta). Um revolucionário e um garoto. Dois homens que não se conhecem são forçados a compartilhar as horas terríveis de uma contagem regressiva que pode terminar com a morte de um deles ao amanhecer.



Ao prisioneiro, restam poucas horas de vida e a missão de salvar o último trabalho que Federico Garcia Lorca (Carmo Dalla Vecchia, em off), um dos maiores escritores espanhóis de todos os tempos, deixou sob sua custódia. Para isso, precisa convencer o jovem militar a salvar o texto de teatro, que conta a história de amor entre dois homens, motivo pelo qual Lorca foi fuzilado pelo exército franquista um ano antes, em 1936.



Arte em luta



“A Pedra Escura” combina tensão dramática e pulso poético para levantar questões importantes, como a barbárie causada por uma guerra, a importância de preservar a memória e a cultura de um povo. E o papel crucial da educação e da arte para a construção de uma sociedade mais humana e menos desigual. 



Natural de Itaperuna, município do Noroeste Fluminense, Vino Fragoso, que também é idealizador do projeto, conta que a montagem nasce do seu desejo antigo de levar a pauta da bissexualidade para o teatro, tema ainda pouco abordado nos palcos e na mídia. O cenário, assinado por ele, representa o horror da guerra e das ditaduras, e foi inspirado na obra do consagrado artista plástico brasileiro Cildo Meireles, com quem se encontrou no atelier do artista e teve sua aprovação.



– Eu queria fazer um espetáculo que fosse dramatúrgico, mais concreto, e com temática LGBT+. Desde quando comecei a me descobrir bissexual quis levar ao palco essa pauta, pois há pouca representatividade nas artes e na mídia. Em 2018, conheci o trabalho de Alberto Conejero ao ler “Como Posso Não Ser Montgomery Clift?” e, no ano seguinte, começamos a conversar sobre o projeto da montagem de “A Pedra Escura”. Convidei para a direção o João Fonseca, que foi uma das primeiras pessoas que conheci no Rio de Janeiro, por meio do Paulo Gustavo – revela.



Serviço:



Temporada: de 02 de novembro a 17 de dezembro



Dias e horários: quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h



Local: Teatro Poeirinha – Rua São João Batista, 104, Botafogo, Rio de Janeiro – RJ



Entrada: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada), vendas pelo httpss://bileto.sympla.com.br/event/88112/d/222987/s/1510181    



Duração: 70 minutos



Gênero: drama



Classificação indicativa: 16 anos



Capacidade: 50 espectadores.



Mais informações: httpss://www.teatropoeira.com.br/pedra-escura



Rede social da peça: @apedraescura



fonte: observatoriog



Atenção: As imagens abaixo contem nudez e são proibidas para menores de 18 anos, se você não for maior de idade não continue descendo essa página, obrigado.


Publicidade
Publicidade

Publicidade
Buscador de vídeos